Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

:(

A morte de uma bombeira de 24 anos, cercada pelo fogo, é uma notícia que me desvaira. Sobretudo por saber que na grande maioria dos casos é gente que ateia os fogos. Gente que atenta contra o país, contra os habitantes das populações afectadas, pessoas que matam alegremente outras pessoas. A minha querida dona Emília estava, no outro dia, aqui em casa a chorar em frente ao televisor, enquanto passavam as notícias  do violento incêndio em Góis, onde tem os pais. Ligava insistentemente e ninguém a atendia. Escutava os relatos de que a população da aldeia dos pais tinha sido evacuada e só pensava na mãe, praticamente sem mobilidade. Ontem a dona Emília não veio porque foi à terra, ter com os seus que, por acaso (e graças ao trabalho árduo dos bombeiros), estão a salvo. E eu fico numa raiva muda contra esta gente capaz de queimar a vida dos outros como se fosse um espectáculo digno de se ver. Ontem morreu uma bombeira, hoje sabe-se lá quem mais morrerá às mãos de gente que nem sequer merecia ter nascido.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.