Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Aquela que eu sou

É oficial: estou louca. Passei boa parte do meu dia a tentar marcar um jantar para hoje com as minhas amigas. Finalmente, consegui ao balcão, no Honra, que adoro. Uff. Alívio. Na hora de sair de casa, custou-me. Até desabafei com o taxista que me apetecia mais ficar em casa, à lareira. Que estava muito frio. Mas pronto. Cheguei ao Honra e nada das meninas. Mas era cedo. Decidi mandar mensagem: "Já cá estou". E fui dirigida à mesa. Nisto, o telefone toca. Era a Maria João: "Estás onde? Mas o jantar é amanhã!" Oi? Amanhã? Como amanhã? "Sim, eu estou de pijama em casa com os miúdos. Amanhã é que tenho a noite livre!" Vi a minha vida a andar para trás. Falei com a Nathalie: "Ops. Parece que estou mesmo desvairada. Uma das minhas amigas diz que o jantar não é hoje… Traz-me um Mojito, para eu descontrair". Ela riu-se. E trouxe.
A outra amiga não respondia às mensagens. Não atendia o telefone. E, pior que tudo, não chegava.
A coisa confirmava-se: eu estava no jantar certo, no dia errado.
Pensei: se for para casa, não tenho jantar. O Ricardo ia despachar os putos com Cerelacs. Se for para casa tenho de aturar aquele chinfrim todo. E se eu aproveitasse este engano e o transformasse num momento de felicidade? E assim foi. Bebi o meu mojito e, a seguir, pedi à Nathalie que me trouxesse duas entradas: ovos com farinheira e peixinhos da horta. Ia ser esse o meu jantar. Quando o mojito chegou ao fim, pedi um copo de vinho. E ali estive, em pleno êxtase. A minha loucura, o meu equívoco acabou por ser o prémio por uma semana muito dura. Estive no céu. Sozinha, em silêncio e a degustar a minha refeição numa paz como há muito não tinha. A Nathalie ia passando, de quando em vez, mas chegou a dizer: "Até me custa interromper-te! Estás com um ar tão feliz!"
E estava mesmo.




Acho que isto resume aquilo que eu sou. Aquela que eu sou. Ok: o jantar não era hoje? Fui uma idiota e apareci para um evento que não existia na agenda das outras convivas? Que se lixe! Vamos aproveitar a coisa para um momento perfeito! E assim foi. Perfeito! 
Obrigada, Nathalie, pela tua companhia e cuidado! 
Obrigada, Olivier (que entretanto apareceu a perguntar: "Estás sozinha???")
Estive sozinha mas bem acompanhada. 
Quando se tem muita gente em casa estes momentos nunca sabem a solidão. Sabem a paraíso. 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.