Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Contra a obesidade infantil


Hoje, DiaMundial da Alimentação, é importante falar numa temática complicada: aobesidade infantil. 
De acordo comos dados divulgados pela Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil(APCOI) sabe-se que 32% das crianças portuguesas com menos de 8 anos temexcesso de peso e que apenas 40% pratica atividades desportivasextracurriculares (vídeo da APCOI - http://www.apcoi.pt/video2012/).
Para MárioSilva, presidente e fundador da APCOI, “os resultados deste novo estudocomprovam que há ainda um longo caminho a percorrer no que respeita àsensibilização da população para esta epidemia. A obesidade infantil é a raizdo problema e é sempre mais eficiente prevenir qualquer problema na sua raiz,evitando assim as graves consequências na saúde individual, mas também oselevados custos no nosso sistema de saúde devido às restantes doençasassociadas à obesidade, sobretudo na idade adulta. Por isso, é de extremaimportância que exista partilha e conversação sobre o tema. O debate sobre ascausas, os meios de prevenção e a promoção de estilos de vida saudáveis queincluam alimentação saudável e atividade física regular são medidasfundamentais para o combate a esta epidemia".

Quaisos riscos de saúde, associados à obesidade infantil?
Uma criançaobesa está em risco de vir a sofrer de sérios problemas de saúde durante a suaadolescência e na idade adulta. Tem maior probabilidade de desenvolver doençascardiovasculares, hipertensão, diabetes, asma, doenças do fígado, apneia dosono e vários tipos de cancro. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, aobesidade é a segunda principal causa de morte no mundo que se pode prevenir, aseguir ao tabaco.
São tambémgraves os problemas sociais e psicológicos que enfrentam as crianças obesas.Estão mais sujeitas a ataques de bullying e outros tipos de discriminação. Oque poderá provocar consequências diretas na sua autoestima e a quebra no seurendimento escolar. Se não receberem apoio especializado poderão sofrer aindade depressão ou outras doenças do foro psicológico quando atingirem a idadeadulta.

Comosaber se a criança tem peso a mais?
Para odiagnóstico da situação de excesso de peso e obesidade deverá começar por medire pesar a criança ou adolescente e, posteriormente, deverá seguir os seguintespassos:
1.      Calcule o Índice de MassaCorporal (IMC), dividindo o peso (em kg) pelo quadrado da altura (em metros).
2.      Em seguida, analise as tabelas depercentis do Boletim de Saúde, em função do sexo e idade da criança, para sabero percentil correspondente ao IMC que obteve.
3.      Agora, interprete os resultados:quando o percentil for superior a 85, significa que a criança tem excesso depeso, enquanto que se o valor for superior a 95, a criança é diagnosticada comobesidade. Tenha em atenção que este método só é válido para crianças com idadesuperior a 2 anos. Poderá também inscrever-se num dos rastreios nutricionaisgratuitos promovidos pela APCOI e contar com a experiência e aconselhamento danossa equipa de voluntários. Inscreva-se no próximo rastreio através do site www.apcoi.pt/rastreios 

5lanches saudáveis e variados para levar para a escola
Lanche1
Sumo delaranja e abacaxi com hortelã;
Pão integralbarrado de requeijão com rúcula e ervas aromáticas variadas preferencialmentefrescas: salsa e orégãos 

Lanche2
1 pacote deleite meio-gordo não achocolatado
Pão integralcom fiambre de peru e alface

Lanche 3

Pão demistura com ½ queijo fresco e cenoura ralada
Salada de meloa às bolinhas


Lanche4
Batido de banana com sementes de linhaça

2 tostasmédias integrais com ½ queijo fresco

Lanche 5

Espetada deuvas e tomate cherry
3 bolachasMaria
1 iogurtelíquido

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.