Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Granola com... proteína viva

Aqui há uns tempos comprei uma Granola numa loja que - diziam-me - tinha uma Granola mesmo boa. Não mentiram. A sacana era deliciosa, com frutos secos inteirinhos, estaladiça, uma maravilha, nhami, nhami. Vendia-se avulso e nós, apostados numa vida mais saudável, comprámos, todos contentes. No outro dia, a minha despensa estava carregada de traças e a D. Emília, depois de as combater, deitou o saco da Granola para o lixo por ter traças e não estar próprio para consumo. Ok. Ainda tínhamos um bocadinho guardado numa caixa de plástico. Este fim-de-semana ia morrendo. O Ricardo abriu a caixa e o que viu foi um ninho de larvas, serpenteando-se pela Granola, uma coisa medonha com teias e tudo, e eu só não me vomitei toda na hora porque sou pessoa com alguma resistência ao vómito (excepção para o primeiro trimestre da gravidez).
Fica, pois, o alerta. Granolas e outros cereais, vendidos avulso, sem conservantes e cenas… podem ser estupidamente naturais e maravilhosamente biológicos. Mas eu cá dispenso bem a proteína viva e em movimento. Entre isso e um químico ou outro, acho que ainda prefiro o químico. Manias.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.