Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Mudar de Vida #1: Andreia Costa

_LisbonFamilyHostel9821.jpg

Durante 15 anos cuidou dos outros. Ao fim de 15 anos decidiu mudar de vida e dedicar-se a... cuidar dos outros. Confuso? A explicação está apenas no tipo de cuidado. Andreia Costa formou-se em Enfermagem e exerceu durante 15 anos. "A minha primeira paciente foi a minha mãe, que teve cancro quando eu estava na faculdade." Talvez por isso o IPO tenha sido a sua primeira "casa", bem como os Cuidados Intensivos da Cruz Vermelha. Depois nos Lusíadas, também nos Cuidados Intensivos, onde foi chefe de equipa durante 8 anos. A seguir foi abrir a Clínica Parque das Nações e quando saiu era coordenadora da Clínica. Já estava numa fase diferente da vida. Já não tinha de fazer turnos, já não havia os cuidados intensivos com todo o seu frenesim. Tinha tudo para ser um bom passo. Só que Andreia sentiu então que lhe faltava alguma coisa. "Alguma coisa que me desafiasse." 

Um dia, na praia, o cunhado começou a contar a história de um amigo que tinha aberto um hostel. E a ideia soou-lhe a música. "E se eu abrisse um hostel para famílias com crianças?" Como mãe de dois filhos pequenos e viajante, Andreia sabia da dificuldade em encontrar alojamentos simpáticos para crianças, quer em termos de preços, quer em termos de estadia propriamente dita. O marido, auditor financeiro, ao início, foi céptico. Achou que talvez não fosse grande ideia largar um emprego estável para se dedicar a uma área da qual ambos sabiam coisa alguma. Mas depois de fazer o plano de negócio achou que talvez não fosse assim tão louco quanto isso.

Desde o dia em que o cunhado lhe falou no hostel do amigo (em Julho de 2015) à concretização do sonho de criar um hostel para famílias com crianças passaram apenas 2 meses. Andreia despediu-se, para choque de muitos, encontrou a casa certa para arrendar em Agosto, e em Outubro de 2015 abriu o Lisbon Family Hostel. "A minha primeira paciente tinha sido a minha mãe e o meu último paciente foi o meu pai, de quem cuidei até morrer, também de cancro. Ele soube que eu ia montar um negócio mas nunca lhe cheguei a dizer que ia deixar a Enfermagem. Achei que isso o ia deixar triste e preocupado e não valia a pena. Cuidei dele e fechei um ciclo".

O novo ciclo é então o Lisbon Family Hostel, que fica numa moradia com jardim em Alvalade e tem 6 quartos com nomes de lugares que a marcaram: Marrocos (4 pessoas), Londres (4 pessoas), Paris (2 pessoas), Barcelona (6 pessoas), Cabo Verde (4 pessoas), Lisboa (8 pessoas).

O primeiro hóspede foi uma decoradora do Norte, que ficou instalada logo na primeira noite de abertura. A primeira família veio da Polónia e ficou uma semana, em Novembro. Desde então, Andreia nunca mais teve quartos vazios. De portugueses (sobretudo ao fim-de-semana) e estrangeiros (durante a semana), numa proporção que ronda os 50%/50%. A taxa de ocupação superou todas as expectativas (no verão esteve sempre nos 98%), os melhores cenários traçados pelo plano de negócio, e cada mês tem sido melhor que o anterior. O desafio é permanente, há novas áreas de negócio paralelas a explorar, e as saudades da Enfermagem ainda não se fazem sentir. Ah, e aos seus dois rapazes vai juntar-se mais um, com nascimento previsto para Janeiro.

Andreia não podia estar mais feliz. Continua a cuidar dos outros, mas de maneira diferente. Antes cuidava na doença, com todo o peso e dor inerentes; agora cuida na saúde e nos bons momentos, com toda a felicidade associada.

_LisbonFamilyHostel9833_Fotor_Collage.jpg

_LisbonFamilyHostel9825_Fotor_Collage.jpg

Fotos: Raquel Brinca, HUG

 

Lisbon Family Hostel

Endereço: R. Viana da Mota 28, Lisboa
Telefone: 21 408 0337

 

 

Esta é a primeira edição de uma nova rubrica no blogue. Mudar de Vida pretende contar histórias de pessoas que deram um rumo completamente diferente à sua vida profissional, com tudo o que isso implica em termos pessoais.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.