Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Oftalmologista

Gostei muito do professor Eugénio Leite. Simpático, a explicar tudo devagar, credível, e com uma maquinaria-de-ver-olhos verdadeiramente impressionante. A certa altura, ficou um pouco preocupado: "A menina tem os nervos oculares muito apagados... algo que só seria suposto aí aos 50, 60 anos. Vamos fazer dois exames, para percebermos se isso tem que ver com os medicamentos que tomou para a asma, que é possível, ou se há algum problema recente de má vascularização."
Ui. Olhinhos de avó e o medo de que as veias estejam a irrigar mal a coisa. Medo.
Fui então para uma primeira máquina xpto, que analisaria o meu campo visual. Tinha de olhar para um ponto vermelho e carregar numa campainha sempre que visse surgirem, em redor, pontos de luz branca. Umas vezes era fácil, eles eram grandes. Outras vezes era um pavor. Porque a máquina fazia um barulho característico sempre que um dos pontos aparecia e muitas vezes eu não os mirava. Estive ali imenso tempo, como que a jogar um videojogo. As senhoras examinadoras não sabem mas, muitas vezes, quando caçava um ponto de luz, carregava na campainha e pensava "Ha-Ha! Cacei-te!" É triste como um adulto se põe a brincar aos disparos com um aparelho de exames oftalmológicos. Mas, vá, tenho a desculpa de ter estado praticamente 2 horas à espera.
Depois dessa máquina, que me deixou a ver luzinhas durante bastante tempo, passei para uma que me analisou a retina. Uma espécie de TAC ao olho.
No final, o professor disse que a minha velhice prematura dos nervos oculares não tem que ver com má vascularização, que será um defeito de fabrico ou - muito provavelmente - o resultado de muitos medicamentos para os ataques de asma. Que bom. Não me bastava ter mãos de velha (como alguém, anónima e tão simpaticamente, referiu aqui), agora também tenho olhos de velha. Canário!
Disse ainda para não abusar das lentes de contacto, para colocar lágrima artificial sempre que as tiver, para ir amadurecendo a ideia de operar a laser (uiiiii... vai ter de ser um amadurecimento looooongo), e para passar bem.
A consulta era às 19h. Saí de lá às 22h. Mas mais descansada. Não tenho a pressão elevada, as minhas dioptrias mantêm-se, não tenho nenhuma doença que me vá cegar (um hipocondríaco pensa em tudo). Ok, os meus olhos já chegaram à terceira idade. Talvez seja porque já viram muitas coisas. Eu, pelo menos, gosto de imaginar que é por isso.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.